domingo, 19 de junho de 2016

Carochinha: quem contará suas histórias?

Por onde andam as carochinhas? Dez/15
Por onde andam as carochinhas? Viraram somente uma história? Lembro que não eram difíceis de encontrar... estavam por todas as partes, em grande quantidade em algumas árvore espalhadas pela cidade. Na época eu não sabia o nome da árvore... mas adorava apertar o botão das flores para ver florescer (involuntariamente) um colorido que variava do branco ao rosa... roxo também. Curiosa, fiz uma breve pesquisa:

NOME CIENTIFICO: Lagerstroemia indica
NOME(S) POPULAR(ES): Resedá, Extremosa, Estremosa, Escumilha, Árvore-de-júpiter, Julieta, Flor-de-merenda-vermelha, Suspiros, Mumiquilho
FAMILIA (Cronquist): Lythraceae
FAMILIA (APG2): Lythraceae

Planta muito utilizada no plantio em calçadas, por conta do baixo porte e raízes que não se espalham.
Possui flores nas cores branca, rosa e púrpura.
Considerada a “Musa das calçadas”, devido seu porte, beleza e não ter raízes agressivas, é amplamente utilizada na arborização urbana.
Nativa da Índia e China, a espécie foi introduzida nos Estados Unidos em 1790 pelo botânico Andre Michaux e é cultivada hoje em dia como árvore ornamental.
No final do ano passado, minha tia (e vizinha) me alcançou a "tal" da carochinha por cima do muro e não tive como não lembrar dos finais de semana em que a família se reunia na casa da minha avó materna. Lembro do meu primo e do meu irmão amarrando linha de costura nas patinhas do bichinho para ver qual voava mais alto (crueldade da qual eu era cúmplice!). Sorte (ou azar) da carochinha que perdia sua patinha e escapava daquele circo de horrores... Eu não entendia nada sobre a vida...
Dessa vez, com todos os seus membros, guardei sua imagem (cada vez mais rara) e a coloquei no pé de araçá do quintal da minha mãe com a esperança de que voltasse para os seus e nos agraciasse com sua presença quando as extremosas florescessem talvez com a ajuda de mais uma criança curiosa.

Mais informações:

domingo, 17 de abril de 2016

Lápis semente/plantável

O Lápis Semente é um produto que tem como objetivo promover a conscientização ambiental e pode ser usado normalmente para escrever.
 
Quando não puder ser mais usado, ele deve ser enterrado. Um recipiente na ponta final do lápis contém sementes e, se plantado de forma adequada, fará nascer uma flor. 
Lápis semente

Alguns sites produzem e personalizam o produto. Alguns definem uma quantidade mínima de 100, 200 etc. Mas se você deseja somente algumas quantidades para testar ou presentear poucos amigos, o site abaixo (link) permite a compra de poucas unidades:
http://www.aqualojaubatuba.com.br/lapis-semente-p69

E na tua cidade, há algum lugar onde se encontra esse tipo de lápis?


domingo, 16 de agosto de 2015

VII ENCONTRO E DIÁLOGOS COM A EDUCAÇÃO AMBIENTAL - EDEA/2015

VII ENCONTRO E DIÁLOGOS COM A EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Os desafios da Educação Ambiental: quem faz, como, para quê e para quem?


INSCRIÇÃO DE TRABALHOS ATÉ 10 DE OUTUBRO

CHAMADA PARA ENVIO DE TRABALHOS
No VII Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental, serão aceitos artigos completos com apresentação oral resultantes de pesquisas de iniciação científica, graduação, pós-graduação, ou de iniciativas não formais ligadas à Educação Ambiental. Os artigos deverão ser resultantes de pesquisas concluídas ou com resultados parciais, pesquisas em andamento, revisões bibliográficas, ensaios teóricos e relatos de experiências. A submissão dos trabalhos, necessariamente, deverá estar de acordo com um dos eixos temáticos do evento, são eles: i) Abrangência de olhares e dispersão de lutas em Educação Ambiental; ii) Espaços consolidados e políticas de Educação Ambiental; iii) Perspectivas e utopias da Educação Ambiental.
Orientações para a submissão dos trabalhos:
- Será aceito apenas um trabalho por autor(a) na condição de autor(a) principal (que deverá fazer o envio do trabalho) e não haverá limites para coautoria, porém há o limite máximo de cinco autores(as) por trabalho. Autor(a) e coautores(as) deverão estar inscritos no evento na condição de ouvintes, e os autores principais deverão estar inscritos, também, na modalidade apresentação de trabalhos. Os trabalhos aceitos serão apresentados em locais, datas e horários divulgados, oportunamente, pela comissão organizadora do evento na página oficial do evento no Facebook e no blog oficial. Serão aceitos trabalhos em português e espanhol;
- O trabalho deverá ter a forma de artigo, com problemática anunciada e desenvolvida, conclusões e referências.
- O julgamento dos trabalhos será guiado pelos critérios a seguir:
a) Relevância e pertinência do trabalho em sua interlocução com a Educação Ambiental;
b) Riqueza conceitual na formulação dos problemas;
c) Consistência e rigor na abordagem teórico-metodológica e na argumentação.

O trabalho deverá conter um pequeno cabeçalho, logo acima do texto completo e do resumo, com os seguintes itens, apresentados, obrigatoriamente, na ordem abaixo:
a) Título do Trabalho;
b) Nome do Autor(a) – com nota de rodapé contendo titulação, instituição e e-mail;
c) Nome(s) do(s) coautor(es) – com nota de rodapé contendo titulação, instituição e e-mail;
d) Eixo temático;
e) Agência ou Instituição Financiadora (quando houver).
Obs.: O texto na íntegra deverá conter entre 8 e 12 páginas.

A formatação dos arquivos deverão seguir as seguintes orientações:
- Papel tamanho A4;
- Margem esquerda e superior com 3 cm;
- Margem direita e inferior com 2 cm;
- Fonte Times New Roman, tamanho 12 cm;
- Espaçamento entre linhas 1,5 cm;
- Alinhamento justificado;
- Título centralizado, em letras maiúsculas, fonte Times New Roman, tamanho 14;
- Resumo fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento simples, seguido de 3 palavras-chave separadas por ponto. O resumo do trabalho deverá conter entre 10 e 15 linhas (mínimo e máximo);
- Subtítulos alinhados à esquerda e em negrito, em maiúscula somente a primeira letra e as que forem necessárias, fonte Times New Roman, tamanho 12;
- Notas de rodapé ao final da página, fonte Times New Roman, tamanho 10.


ATENÇÃO
- Os textos deverão estar com extensão em Word (.doc ou .docx);
- Os artigos que deixarem de atender, parcial ou integralmente, a qualquer condição pré-estabelecida pelo comitê científico, serão excluídos pela comissão;
- O material, se aceito para apresentação e publicação, será utilizado em sua versão original;
- Os trabalhos serão cedidos sem custo ao evento, que poderá publicá-los com menção ao nome do respectivo autor(a) principal e coautores, no limite de 5 autores por trabalho. A aprovação pela comissão científica do evento implica cessão automática de direitos autorais;
- Todos os trabalhos serão submetidos a avaliação de pareceristas ad hoc;
- A revisão ortográfica e demais componentes do texto são de inteira responsabilidade dos autores. Os trabalhos serão publicados exatamente como recebidos pela plataforma SINSC;
- O pagamento da inscrição no evento não garante o aceite do trabalho e sua publicação;
- Os trabalhos deverão ser enviados via plataforma SINSC no momento da inscrição do(a) autor(a) principal;
- Dúvidas devem ser encaminhadas para o seguinte endereço eletrônico: comissaocientificaedea2015@gmail.com
- A submissão dos trabalhos será homologada mediante confirmação da comissão científica via e-mail;
- A submissão de textos ao evento é limitada em 60 artigos.


EIXOS TEMÁTICOS

Eixo temático 1 - Abrangência de olhares e dispersão de lutas em Educação Ambiental
Os trabalhos destinados ao eixo 1 são aqueles que discutem o campo da Educação Ambiental na tentativa de aprofundar os pontos de partida que fundamentam as múltiplas acepções que a questão ambiental abarca no cenário contemporâneo. Com isso, este eixo objetiva: assinalar as fortalezas e as fragilidades que a multiplicidade de enfoques corrobora; identificar se as bandeiras de lutas convergem ou divergem; descrever como elas têm sido organizadas.

Eixo temático 2 - Espaços consolidados e políticas de Educação Ambiental
O objetivo do eixo 2 é mapear a práxis da Educação Ambiental no Brasil e no mundo, seja em espaços institucionalizados ou não. Esse objetivo se desdobra nos seguintes itens: captar os discursos da Educação Ambiental que estão em voga; comparar o discurso com a prática a que se pretende; discutir sobre a questão do contexto escolar, enquanto um espaço político, no que tange ao modo como a escola tem sido tratada e, ao mesmo tempo, trata da Educação Ambiental; abrir a possibilidade de novas frentes a serem debatidas. Outra questão que poderá orientar os trabalhos submetidos ao eixo é a seguinte: quais são os avanços, em termos de políticas públicas, que devem ser discutidos para a manutenção ou não das conquistas da Educação Ambiental?

Eixo temático 3 – Perspectivas e utopias da Educação Ambiental
As questões que orientam o eixo 3 são as seguintes: para onde apontam os nossos estudos em Educação Ambiental? O que pretendemos com eles? O horizonte utópico continua a ser um farol na jornada da Educação Ambiental? Como este horizonte utópico é construído e constituído? Quais as perspectivas teóricas estão sendo delineadas? Como são tratados, na Educação Ambiental, conceitos, entre outros, como a cultura, a política, a arte, a estética, a ética, a epistemologia e a ideologia?

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Parque Knijinik

Parque Gabriel Knijnik

A área  conta com diferentes ambientes, com diversas espécies da fauna e flora. Há pomar, onde se encontram árvores frutíferas como pitangueira, pereira, ameixeira e jaboticabeira, além de eucaliptos e pinus. Também possui uma área banhado e uma grande área de preservação.
Nas obras de urbanização foram construídos sanitários, coreto, playground, cinco churrasqueiras, duas quadras de futebol em saibro, uma cancha de bocha, passeios e estacionamento para 100 carros. No prédio da sede administrativa, há duas salas de uso múltiplo e, na guarita de acesso ao parque, um mirante com vista para o Lago Guaíba. Do alto do mirante, onde todos os freqüentadores podem subir, é possível avistar o Morro do Osso e o Morro Teresópolis, uma das mais belas paisagens da cidade, observando-se o contraste entre a área rural e a área urbana de Porto Alegre.

O parque localiza-se na Estrada Amapá. Para se deslocar até o local, é possível utilizar a linha de ônibus 271-Amapá, da empresa STS, com final da linha em frente à entrada do parque. De carro, deve-se seguir pela avenida Cavalhada até a rua Vicente Monteggia.

Para agendamento de caminhada orientada no parque e visitas de escolas, encaminhe e-mail para pinheiro@smam.prefpoa.com.br. Os passeios orientados ocorrem aos sábados. Para agendamento de visitas escolares, favor informar nome da escola, número de alunos, nome do resposnável, meio de locomoção, data e período da visita e telefone de contato. 

Endereço: Estrada Amapá, 2.300
Telefone: (51) 3266-8120
Área: 11,95 hectares
Inaugurado em: 27 de outubro de 2004

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smam/default.php?p_secao=202

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Que tal trocar seus resíduos por descontos na conta de energia elétrica? É o que propõe a AESul...

Recicle Mais, Pague Menos

Recicle Mais, Pague Menos
Trocar resíduos sólidos recicláveis por bônus que podem zerar a conta de luz dos clientes residenciais. Esta é a finalidade do projeto Recicle Mais, Pague Menos, implantado em 2013 pela AES Sul.
O projeto contribui, visivelmente, com o tripé de sustentabilidade (social, econômico e ambiental) ao fortalecer a autoestima e dignidade da comunidade pela diminuição da quantidade de lixo descartado nas ruas, em seu entorno; ao contribuir com o orçamento familiar; e, ainda, ao fomentar o descarte correto de materiais que podem ser reciclados (aspecto ambiental).
O Recicle Mais, Pague Menos busca arrecadar até junho de 2015 cerca de 1.710 toneladas de materiais recicláveis e contribuir com o orçamento de pelo menos 40 mil famílias de baixa renda.
Como funciona - o cliente leva os materiais até um posto de coleta e faz o cadastro com uma conta de energia a partir do Código de Cliente. Os resíduos são pesados e os créditos somados, creditados na próxima fatura de energia elétrica. Em cada pesagem é emitido um comprovante da transação de modo que possa ser controlado pelo cliente. A remuneração por cada tipo de material segue valores de mercado. Não há limite de volume, o que possibilita ao cliente inclusive zerar sua conta e acumular créditos para a conta do mês seguinte.
Todos os clientes residenciais da AES Sul podem participar desde que levem os resíduos até um dos postos de coleta. Os itens aceitos no projeto (metal, papel, plástico, vidro e tetra-pak) são amplamente divulgados, pois seguem parâmetros de viabilidade de reciclagem. Os postos de coleta podem ter dois formatos: uma tenda (volante) e um contêiner (fixo), ambos têm a mesma estrutura de atendimento.
Postos de Coleta
Canoas:
Posto de Coleta - Matias Velho
Avenida Rio Grande do Sul, 1.790, Mathias Velho – Canoas/RS.
Localizado no estacionamento do Centro Social Urbano Mathias Velho.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h e aos sábados das 8h30 às 11h30.
Posto de Coleta - Igara
Rua das Azaleias, 189, Igara – Canoas/RS
Localizado na Associação de Moradores do Jardim Igara II.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h e aos sábados das 8h30 às 11h30.
https://www.aessul.com.br/site/socioambiental/recicle_mais_pague_menos.aspx